Roda América


Sempre ela

Foram-se amigos e mulheres, derrotas e sucessos, e ela sempre esteve ao meu lado. Formei rastros por bairros e cidades, estados e países, até formar sobre minhas pernas um imenso continente sulamericano, tão grande quanto meus sonhos. Até quando eu mesmo me abandonei, ela sempre esteve ao meu lado. Entre as tantas declarações que fiz a mulheres, povos e países, eis que chega o momento de dedicar esta singela parte para minha querida Capitu.


Hoje resolvi meter o pé na estrada, indo de Curitiba até Santa Catarina, trecho curto, porém o primeiro depois da última operação no joelho. Dei início ao meu velho ritual de viagem, talvez usando o pouco misticismo que resta em um ateu incorrigível como eu: Abro a porta de um quarto escuro, vendo a silhueta de Capitu se formando enquanto as frestas de luz irrompem sobre a escuridão. Sem dizer uma palavra, vejo minha fiel escudeira e a acaricio sutilmente, como que unindo entre ela e meus dedos duas partes que jamais deviam separar-se. Coloco meu primeiro pé sobre o pedal, olho para o horizonte que virá, respiro levemente e lhe digo baixinho, quase em tom de confissão:


- Simbora, Capitu...  

E daquele momento em diante somos somente nós, a estrada e a adorável imprevisibilidade das coisas.


Ao lado dela, não me preocupo em ser o melhor ou o pior em nada, apenas em ser eu mesmo, pouco importa. Na estrada ela é a extensão do meu corpo, fora dela é a extensão da minha mente. Se muitos fecham os olhos e se imaginam numa ilha paradisíaca num clima tropical, fecho os olhos e só preciso me imaginar com ela e me sinto muito melhor, sem a necessidade de pensar sobre onde estou, sé chove torrencialmente, se faz sol, não importa.  Juntos somos felizes por estarmos completos, é tão simples que poucos entendem.


Sempre escuto que é loucura ter uma relação tão intrínseca com uma simples bicicleta, ou que é loucura viajar por tantos países sozinho e sem dinheiro, mas não me importo muito e até curto o desafio da quebra de paradigmas. Loucura pra mim é viver a vida de forma automática, com as divertidas loucuras que cada um tem sendo corrompidas pelo que parece óbvio para a maioria.


E vamo que vamo. Pé na estrada. Como sempre deveria ser



Escrito por Ricardo Martins às 15h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil





BRASIL, Sudeste, RIO DE JANEIRO, Homem, de 20 a 25 anos, Spanish, English, Esportes, Viagens, Bicicleta
MSN - rmartinsb@hotmail.com



Doações

Amigos,
Para fazer doações, coloco abaixo os dados de minha conta.

Conta poupanca
Banco: Bradesco
Agência: 1791-4
Conta: 0028823-3
Nome completo: Ricardo Martins Batista
CPF: 09963135757

Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog